Risco de infecção pelo coronavírus cai pela metade 13 dias após 1ª dose da Pfizer

Risco de infecção pelo coronavírus cai pela metade 13 dias após 1ª dose da Pfizer

Desse modo, a efetividade calculada pelos pesquisadores para a vacina americana 13 dias após a aplica√ß√£o da primeira dose é de 51,4%. O estudo realizado em Israel n√£o analisou o desempenho da vacina americana após a segunda dose.

Para Raquel Stucchi, infectologista da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), quando h√° um número de pessoas vacinadas com a primeira dose, j√° h√° um encaminhamento consider√°vel para um “controle eficiente da pandemia”. Principalmente, segundo ela, em se tratando da primeira dose do imunizante da Pfizer/BioNTech, que oferece prote√ß√£o similar à conferida por duas doses de vacinas como a Coronavac, do Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Ainda assim, a infectologista refor√ßa que é necess√°rio continuar conscientizando a popula√ß√£o sobre a necessidade de tomar a segunda dose para diminuir ainda mais o risco de infec√ß√£o pelo novo coronavírus. “Mesmo com esse resultado bom da primeira dose, é necess√°rio que se tenha uma segunda dose, para garantir uma prote√ß√£o depois em torno de 90% de efic√°cia [no caso do imunizante da Pfizer/BioNTech]”, diz Stucchi.