Baner agosto Camara

Justiça condena Zambelli a indenizar Sâmia e Talíria por associá-las a imagem diabólica e genocídio

Por OSASCO RENOVE em 29/06/2022 às 15:54:43

A Justiça ordenou que as postagens sejam removidas das redes Twitter, Instagram e Facebook e que Carla Zambelli pague uma indenização de R$ 30 mil por danos morais para cada uma delas, além das custas processuais e dos honorários advocatícios. Ainda cabe recurso.
Além da montagem diabólica, a publicação destacava declarações feitas por Bomfim, Petrone e pela ex-candidata à Vice-Presidência Manuela d"Ávila (PC do B) celebrando a descriminalização do aborto na Colômbia, ocorrida em fevereiro deste ano. “Sem mais! #EsquerdaGenocida”, escreveu Carla Zambelli.

Em sua decisão, a juíza Junia de Souza Antunes diz que o conteúdo veicula uma crítica à opinião em torno de um tema sensível -o aborto- de forma caricata e com apelo sensacionalista, e destaca que o direito de se expressar e informar não prevê críticas feitas de forma desproporcional ou com a intenção de ofender uma pessoa.

“Ao atribuir às demandantes [Sâmia e Talíria] a prática de genocídio, ou mesmo o assentimento com a prática, o texto veiculado findou por desbordar os limites da liberdade de expressão, avançando, de forma desproporcional, sobre a honra e a imagem das requerentes”, diz a magistrada.

“Ao associar as demandantes à figura demoníaca, a requerida estaria a disseminar, no âmbito da sociedade e em época de sobrelevado interesse pelo resguardo da imagem pública (ano eleitoral), a ideia de que as parlamentares autoras seriam favoráveis a práticas nefastas e contrárias ao interesse da sociedade, o que, por certo, açoitaria a sua honra”, segue.

A decisão é celebrada por Talíria Petrone, que diz que os bolsonaristas precisam entender que na democracia não vale tudo. “Mais uma vez as mentiras de Carla Zambelli vêm à tona, dessa vez num processo nosso contra ela. O motivo da condenação por parte da Justiça não é surpresa”, afirma a parlamentar.

“Não é de hoje que ela e a claque bolsonarista perdem tempo em nos atacar. Mas essa turma que só consegue se mobilizar pelo ódio não vai durar muito tempo”, continua.

Ao se defender, Zambelli sustentou perante a Justiça que a imagem compartilhada seria meramente uma crítica satírica e que, sob nenhum viés, imputaria às autoras a prática de crime.

A apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (PL) ainda afirmou que seu ato seria legítimo e resguardado pelo exercício da liberdade de manifestação, além da imunidade parlamentar.
A juíza Junia de Souza Antunes, porém, afirma que Carla Zambelli é autora de diversas ações em que aponta conteúdos desfavoráveis e que teriam extrapolado o limite da liberdade de expressão.
“As vociferações já impugnadas pela ora requerida [Zambelli] em ações judiciais por ela propostas, de fato ofensivas, veiculariam conteúdo que se assemelha àquele por ela publicado em relação às autoras, o que evidencia a inconsistência do argumento, exposto em contestação, de que a publicação de sua autoria não se faria ofensiva”, diz a magistrada.

Fonte: Banda B

Tags:   Brasil
Comunicar erro
BANNER RE9
Stilus modas
Topo banner sicredi
otica
TOPO ITAQUIRAI EM FOCO
cartao viva mais
novo sabor top
florai
Mercado Santos
Auto escola Diamante
bello frango
Lanchonete vitoria
QUERO QUERO TOPO

Comentários

CAMPANHA BELLO ALIMENTOS
florai
bannet vacina